Vida verdadeira

faço parte, faço de conta faço arte, desfaço pontas sofro cortes, sofro aos montes amo forte, bebo da fonte… erro, acerto, tenho dúvidas vivo, como tem que ser, a vida… assim no dia da partida talvez tenha a ausência sentida… Viver é muito mais do que abrir os olhos. A vida não é se encantarContinuar lendo “Vida verdadeira”

Aeternum

de repente uma parte de mim se foi. de repente tento ainda permanecer mas em vão… tentativas vãs… um vão de expectativas. observo através da memória do tempo alguns dos fragmentos do que fui. são lembranças nem sempre doces, algumas tão amargas algumas tão afiadas, cortantes pulando nos pulsos, na jugular no coração maltratado eContinuar lendo “Aeternum”

Frenesi

em plena lucidez (ou não) sinto-me desperta (não esperta) a vida me aperta (não tenho cintos de segurança) me joga na cara um passado que não reconheço. alucino? imagino? pesadelo, sonho? me sinto inquieta o futuro se avizinha – e até para quem é adivinha – ele é surpresa! arquitetar ou não arquitetar? aquietar-se ouContinuar lendo “Frenesi”

Triste embarcação

Ao longe a embarcação segue.A vida segue junto, intrínseca ao movimento.Há água demais… de rios, de choros, de mar…mas nenhuma beira para acolher a lágrima seca.A embarcação se aproxima, lenta e tristementeAparentando vazia, vagando como um fantasma.Não traz mais nada. Não traz mais ninguém.Não leva mais nada. Não leva mais ninguém.A embarcação cansada nem navegaContinuar lendo “Triste embarcação”

Sapatos Velhos

 (Texto de 2011) O melhor motivo para jogar um sapato velho fora é a vontade de preparar o espaço para um novo par. As maiores desculpas para guardá-lo são o medo dos calos que sapatos novos costumam causar, a preguiça de sair para comprar outros e, a pior de todas, a acomodação. Sem falar doContinuar lendo “Sapatos Velhos”

Moinhos não movem o homem

Tudo se move. Águas sobre as pedras. Movendo moinhos. Enquanto em seu silêncio interior o homem cala e consente… Mente. Ele também se move. Lentamente. Seus movimentos não movem o moinho, são estranhos. O homem se move e o caminho vai ficando mais curto… sua vida encurtando passo a passo. A verdade da vida doContinuar lendo “Moinhos não movem o homem”

As coisas simples

Amigos de verdade que te contam tudo e sabem te ouvir também. Comida gostosa, feita com carinho como tempero especial. O som que o mar faz, suas cores e seu cheiro bom. O vento que assobia, refresca, leva, carrega consigo pra longe o que incomoda. A chuva que lava, limpa, levanta o perfume da terraContinuar lendo “As coisas simples”

Escolhas

Porque poderia ser… mas não foi. Outra coisa aconteceu. Porque poderia ter… mas não teve. Outra coisa veio. Porque poderia viver… mas não viveu. A vida aconteceu de outro jeito. Poderia… mas… a escolha feita não permitiu ou permitiu outras coisas… e escolhas são como caminhos, caminhos retos, curvas, encruzilhadas caminhos longos, atalhos, caminhos cruzados…Continuar lendo “Escolhas”