Balé

  Um passodois passospassos para um lado, para outropara frente e para trás.Um pequeno saltoum rodopio pelo chãooutro nos ares do alto.Dança, dança a menina…baila, baila a bailarina.Vestida de sonhos e tuleembevecida pelo precioso somenternecida em gracioso movimento…Ela não sorri. Seus olhos estão fechados…Tudo é tão perfeito!Suas pernas e braços, suas mãos…parece um pássaro!E entreContinuar lendo “Balé”

Madrasta de Si

Com olhos longínquos me observo, juiz implacável de minhas incertezas. Perfeição, perfeição, haveria neste mundo alguém mais sem nexo do eu? Descontroles, dúvidas, dores, inseguranças. E, se de repente abrir o espaço entre a estabilidade e o abismo, dois passos bastarão. (Ouvindo um bom jazz, que o tempo está pra isto…) Imagem: Max Saquco

Da perfeição do mundo

O mundo tem olhos que enxergam bem noite e dia. Dentro e fora. Qualquer matéria. Todos os tempos. Por isto não é preciso perder bons instantes da vida com fome de ódios e sede de vinganças. A memória do mundo é profunda e guarda tudo o que os seus olhos veem. Dele nada se esconde.Continuar lendo “Da perfeição do mundo”