Agorando

De tanto pensar mesmo sem querer de tanto azucrinar a cabeça, mesmo sem perceber, com coisas descabidas mas no cérebro envolvidas na vontade do aconteça… Vontades inexplicadas desejos intangíveis coisas de amanhã marcadas para hoje invisíveis… De tanto amanhã para agora de tanto que pensei… Agorei! (Ouvindo Kate Bush, sempre tão bom…)Imagem: Wish Upon aContinuar lendo “Agorando”

Pontos de vista sobre a exaustão

A cabeça passa as marchas sem comando. As velocidades se alternam, as freadas são bruscas e não há o menor sinal de uma parada nas proximidades. Tudo vai numa sequência estilo queda livre. Longa rota. Até que ponto será possível controlar o desejo de não controlar? Enquanto a mente baixa as cortinas, extiguindo-se aos poucos,Continuar lendo “Pontos de vista sobre a exaustão”

Num pedaço de papel

Aquele dia, eu acho que foi ontem, talvez hoje? Em que em mim entraram as tuas palavras todas as sílabas soletradas e eu que as imaginava soltas, vivas, escritas no papel. Fiquei eu lá… Paralisado de dentro pra fora, os membros que outrora respondiam como a língua e a pena, calado e seco de olhosContinuar lendo “Num pedaço de papel”

Censura, Astros e Pensamentos

Polícia armada. Exército nas ruas. Censura. Não, eu não estou falando de AI5, de revolução, de golpe ou de qualquer coisa do gênero. É de mim mesma, da minha cabeça que pensa coisas legendadas (e algumas vezes mesmo eu tenho quase certeza que dubladas!) pra me confundir. É tudo de um jeito tão esquisito dentroContinuar lendo “Censura, Astros e Pensamentos”

Da seriedade e do ridículo do sério. Sério!

Pensar é coisa séria. Sempre é assim. A gente diz: tô pensando… E lá vem coisa séria. Mesmo que seja a maior m. Mas sai de jeito sério. Com vontade de ser coisa séria. Pensar é meio dor de dente. Remexe, remexe, mexe, puxa, até arrumar ainda mais o que doer. E bem feito, quemContinuar lendo “Da seriedade e do ridículo do sério. Sério!”