Dos medos

Medos se impõem. Eles atravessam os olhos e a pele. Escancaram a mente confusa. Materiais ou etéreos, vivos ou imaginários. Tomam forma. Crescem nos becos escuros da mente Saem do passado obscurecido por lembranças geradas pela memória que se entrelaça com sentimentos… Chegam de um futuro temido por esperanças pilhadas em suas vontades falhas… AContinuar lendo “Dos medos”

Dores que são

Cortes profundos doem menos. O sangue corre, escorre pela pele e cai. O superficial arranha, machuca, arde. Não é uma dor contundente. É uma dor que incomoda, fica ali, visível, se esfregando em todos os atos. Dores profundas não gritam, os ferimentos apenas ficam ali, latejando, latejando, pulsando junto com o coração. Dores superficiais sãoContinuar lendo “Dores que são”