Relembranças da infância

Balanço-me de leve nas lembranças que embalam minha infância… A música que me enleva e a mesma música me leva a relembrar… Tanto que vivi com os amigos com meus pais toda a família… Solto o coração a recordar! Tantas imagens me chegam… enquanto os olhos, fechados, sorriem como meus lábios. O som cessa. AbroContinuar lendo “Relembranças da infância”

Lágrimas de adeus

Na nascente dos teus olhos um rio de lágrimas. Gota a gota desliza pela face a tristeza inteira. Escorre lentamente, uma após a outra… uma após a outra… uma após a outra… e pelo rosto vai se formando uma cascata de água límpida que o coração, agoniado afogado libertou sem querer. Um choro doce. UmContinuar lendo “Lágrimas de adeus”

Pensando alto

Calado está meu coração. Outro dia tentou gritar e a voz não saiu. Agora se contenta em ouvir. Suas próprias batidas e as insinuações de outros corações. Assim, de coração pra coração, vozes silentes se amparam. *** Sonhei contigo. Tu que não sei quem realmente és. Mas no sonho eras sorrisos, e uma voz queContinuar lendo “Pensando alto”

De repente

De repente um cansaço inteiro toma conta do corpo desprevenido preenche-o um torpor jamais sentido vai-se o ânimo bom e costumeiro… Os olhos teimam em ficar cerrados os braços se recusam a levantar tudo de repente num estado como se não fosse mais curar… As mãos se amarram em punhos fechados a boca sem palavrasContinuar lendo “De repente”

tempo de amar

Tenho tempo ainda, tempo suficiente Para andar por aí, feliz e displicente O corpo nu, a alma nua, a cabeça nua… E o tempo que tenho, me doo, sou tua Em casa, no mundo, nos sonhos, na rua Onde o amor nos fizer gente… Tenho uma paixão secreta por teus olhos marrons. Na verdade, souContinuar lendo “tempo de amar”

Olhos bem tapados

Cortinas de fumaça existem para mostrar o fogo não para escondê-lo. Cortinas enfeitam, fazem de conta tiram de trás das janelas o imeditato. Cortinas não são portas. Não têm fechaduras. Não têm chaves. Se retirar o adorno, descortina o real. Mas quem quer uma janela sem… cortina? Quem quer ver o fogo? Quem quer seContinuar lendo “Olhos bem tapados”