Sapatos Velhos

 (Texto de 2011) O melhor motivo para jogar um sapato velho fora é a vontade de preparar o espaço para um novo par. As maiores desculpas para guardá-lo são o medo dos calos que sapatos novos costumam causar, a preguiça de sair para comprar outros e, a pior de todas, a acomodação. Sem falar doContinuar lendo “Sapatos Velhos”

Viver além da sobrevivência

Eu vivo e algumas vezes sobrevivo. Vivo os momentos mas em outros momentos sobrevivo. Viver nem é tão simples e se deixar ir também não… sobreviver é quase partir… querer o nada a partir do tudo. Respiro. A respiração curta não desce até os pulmões. Falo. A fala silenciosa não sobe até a boca. ViverContinuar lendo “Viver além da sobrevivência”

Pensando alto

Que o prazer de viver esteja sempre acima da dor de viver. Porque sim, viver também é dor. A dor que desperta e ensina que um minuto de prazer valerá sempre bem mais do que eternas horas de dor. *** Momentos existem em que temos vontade de simplesmente fechar os olhos e deixar pra lá,Continuar lendo “Pensando alto”

Pensando alto

Há dias em que certas dores tomam conta do nosso olhar. Dias em que não é possível disfarçar. Nestes dias o mais difícil é sorrir. Mas é justamente de dias assim que precisamos para entender a beleza dos dias sem dores. Para valorizar os momentos em que estamos bem e podemos fazer o bem. NãoContinuar lendo “Pensando alto”

Detalhes a esquecer

Se tudo na vida faz lembrar alguma coisa, deve ter também o que faz esquecer… Qual o detalhe que te faz esquecer? Levantar os ombros, abaixar os olhos e continuar a viver? Do que era importante, o que fez diferença, mudou a cor do olhar, o jeito de falar e deixou a vida menos intensa?Continuar lendo “Detalhes a esquecer”

Qual foi a última vez?

Das primeiras vezes, tendência dos anos, lembramos quase todas. E se mesmo algumas esquecemos porque fazemos questão, elas ali estão, não estampadas, mas em branco em preto, eximbindo-se para nós. Primeira vez de coisas que sonhamos e de coisas que nunca imaginaríamos fazer. Mais ou menos como o primeiro passo de criança, que depois deslanchaContinuar lendo “Qual foi a última vez?”