Subjetivas verdades

De onde vieram as palavras que eu jurava não ter pronunciado? E todos os atos que tenho certeza não ter praticado? De onde vieram? Talvez da mesma memória insidiosa Que me conta e mostra coisas enganosas Nunca vividas? Nunca vistas? Nunca sentidas? Ou quem sabe dos sonhos do sono e dos sonhos insones Ou dasContinuar lendo “Subjetivas verdades”

NUVEM NO CÉU AZUL

Tenho uma verdade para entregar-tenão vem de fundo nenhum, nem de mimtalvez da tona, do plano, da frentedo que vês…É hora, é tempo, é vez…Tenho uma mentira para mimnão vem de fora, vem de mime mesmo se em palavras parece-semuito comigo… parece minha filha…filha da mentira, ela carecede consistência…E se eu quisesse brincarde machucarPoderia chorarContinuar lendo “NUVEM NO CÉU AZUL”

SECOND LIFE, SECOND CHANCE

Andei pensando naquele jogo que é uma verdadeira febre mundial, o “Second Life”. Já tinha lindo sobre ele em algumas revistas especializadas, é um jogo até bem interessante. Nele a pessoa (em casa, sentadinha ou deitadinha) atrás do seu computador, cria um personagem (diga-se “avatar”) e parte para viver uma nova vida num novo mundo.Continuar lendo “SECOND LIFE, SECOND CHANCE”