Fascínio pela noite

Sei do fascínio que exerce a noite sobre mim. A noite e sua quietude, seus tons escuros, seus brilhos casuais. Amo a lua que se mostra em faces: apenas por partes, meio distante… ou totalmente devassa, inteira, luminosa, quase me tocando com sua beleza tão próxima. Adoro as estrelas, longínquas, fulgurantes, visão de luz queContinuar lendo “Fascínio pela noite”

PERCURSO

Terrenos baldios. Fronteiras. Cercas espessas. Estradas. Caminhos. Rios correndo, correndo ao longo, tentando alcanlar. Rotas. Barragens. Paradas. Vilas. Vilarejos. Cidades. Metrópoles. Desertos. Longos. Pedras. Pedreiras. Morros. Montanhas. Lagos. Mansos. Profundos. O fundo. Areia. Movediça. Terra. Lama. Pedregulhos. Água. Escuridão. Água escura. Peso. Luz. Raio de luz. Água. Ar. Muito ar. Muita luz. Árvores. Mato. Pedras.Continuar lendo “PERCURSO”

CHAMA

Há um fogo que aquece fogo do espírito místico chama que acende e transcende a imagem real. Olhos nos olhos da chama ela me olha e atravessa não cessa de clamar à vida os sentidos corroídos corrompidos pela invasão sensorial da mente desprevinida invadida completamente perdida… O fogo arde e dele emana o calor breveContinuar lendo “CHAMA”

DOR PERSISTENTE

E uma dor persistente Martela minha cabeça Amassa o canto Do meu olho e fecha a parte de mim Aberta para ver o mundo… Passo a detestar a luz Desligo o som E mesmo os cheiros Tornam-se tão difíceis de suportar… E antes que eu esqueça Esta vertente de ódio Deságua assim Seu líquido imundo…Continuar lendo “DOR PERSISTENTE”

O MAL NATURAL

Nestes tempos onde a escassez de luz é mais viva do que qualquer outra coisa, nunca vi tão claro. Até os sonhos têm sido assim. Neles as pessoas têm aparecido como querem e insistido em me dizer coisas que não quero e nem faço questão de ouvir. Na noite passada, nas horas do supremo descanso,Continuar lendo “O MAL NATURAL”