A estrada esquecida

A estrada que não foi vista ou tomada para seguir em frente… A estrada que insiste em aparecer do nada… A estrada que nos dá a impressão de andar para trás… Qual estrada? A mesma estrada? A estrada do nunca? Uma estrada qualquer? A estrada certa? Como saber… como entender… sem apenas fechar os olhosContinuar lendo “A estrada esquecida”

Pelo caminho da pressa

Ando comendo os pés pelas mãos largando poeira e metendo a mão e a colher onde nem sei se se é um dia chamado. O chamado, vem daqui dos confins das terras secas de mim. Se eu fizer besteiras com gosto de criança inocente e sapeca, fugirei do enfado? Ou ao lado, bem ao ladoContinuar lendo “Pelo caminho da pressa”

PERCURSO

Terrenos baldios. Fronteiras. Cercas espessas. Estradas. Caminhos. Rios correndo, correndo ao longo, tentando alcanlar. Rotas. Barragens. Paradas. Vilas. Vilarejos. Cidades. Metrópoles. Desertos. Longos. Pedras. Pedreiras. Morros. Montanhas. Lagos. Mansos. Profundos. O fundo. Areia. Movediça. Terra. Lama. Pedregulhos. Água. Escuridão. Água escura. Peso. Luz. Raio de luz. Água. Ar. Muito ar. Muita luz. Árvores. Mato. Pedras.Continuar lendo “PERCURSO”

LINHAS DA VIDA

Por quantos caminhos mais eu tenha que passar ao chegar a um lugar qualquer este ao menos já estará percorrido. Suas pedras e suas flores serão conhecidas e o céu acima dele, tanto quanto a terra que o forma, serão sempre parte do que me leva para casa. Por isto, e só por isto, deixoContinuar lendo “LINHAS DA VIDA”