Me parto

jogo palavras fora. fora de mim, fora de meu coração fora de minha alma, fora de meu corpo fora de tudo o que eu possa ser palavras fora… eu jogo e elas saem de mim perfurando o corpo, abrindo os poros, escrevendo dores palavras saem, palavras jorram, fora da minha alma e da agonia sentidaContinuar lendo “Me parto”

Linhagem

Ainda escrevo. Pouco, mas escrevo. Minhas linhas frias muitas vezes cortam. Minhas letras outras vezes quentes, mais do que esquentar, derretem. Sou destrutiva? Autodestrutiva? Minha linhagem tatuou em mim a vontade de escrever compulsivamente. Um desejo doido e doído de escrever tanto, tanto, mas tanto, que a mão doa, os dedos sofram, o coração seContinuar lendo “Linhagem”

Equilíbrio buscado

Na vida, nas palavras, nos passos, na queda… eu busco o equilíbrio. No que leio, no que escrevo, no que sinto… eu busco o equilíbrio. No que olho, no que vejo, no que pressinto… eu busco o equilíbrio. E o equilíbrio nem sempre é meio termo algumas vezes ele é o fim que justifica osContinuar lendo “Equilíbrio buscado”

As palavras em mim

Eu poderia engolir as palavras e não mais dizê-las. Engolir todas… e não mais escrevê-las. Eu poderia fazer secar este mar de palavras que vive em meus pensamentos… Poderia tentar ao menos… para nem mais vê-las! Eu poderia arrancar do coração estas palavras deixar o coração vazio para outras coisas que não fossem palavras… Mas…Continuar lendo “As palavras em mim”

Pensando alto

Escrevo não para dizer o que sinto, mas para sentir o que digo. Escrevo para lavrar a palavra e com ela semear emoções. Flui a saudade.Ela sai pelos poros, pelos olhos…e inunda o chão… Esperar que pessoas más se tornem boas, é muitas vezes em vão. Querer que pessoas de má índole se tornem boas,Continuar lendo “Pensando alto”

Silêncio e música

Preciso do silêncio que me cobre de paz para pensar, para escrever, para observar… para saber do que eu sou capaz… Preciso da música que me traz alegria para pensar, para escrever, para vibrar para dar vida ao meu dia! Há momentos para tudo. Silêncio e música são necessidades. Photo by Brandon Matich on Unsplash

Linhas a mais e letras a menos

Estava tudo escrito e ainda assim ela teimava em ler ao contrário e escrever por cima. Misturava as letras e mudava as frases, combinando palavras e pontos numa excêntrica dança que fazia quase mal aos olhos desacostumados com tamanha ousadia.Ia do fim ao início, obstinando-se em subtrair linhas, aumentar letras, enfeitar margens e trocar osContinuar lendo “Linhas a mais e letras a menos”

Escrevo porque é minha vida

Escrevo… porque é mais simples do que falar. É mais simples do que muita coisa… E quando não escrevo é como se sangrasse para dentro numa hemorragia interna preenchendo todas as frestas que não tem como conter tanto sangue. Escrevo porque é a minha vida e a minha vida é soltar de mim o queContinuar lendo “Escrevo porque é minha vida”