A nuvem de mim

Uma nuvem hoje passou sobre minha cabeça. Não uma nuvem branca, clara, daquelas que decoram o céu. Era uma nuvem quase escura… Cheia d’água roubada descaradamente de mares e rios. Engolia a chuva à seco com vontade de inundar tudo… e desabava seu peso sobre minha cabeça, minha cabeça já cansada de outras coisas… coisasContinuar lendo “A nuvem de mim”

A dor e as lágrimas

Já chorei o suficiente. Minhas lágrimas já mataram inclusive minha sede a sede de um coração aflito e cansado. Rios de lágrimas já correram dos meus olhos e de onde veio tanta água tanta água tanta água assim? Só a alma em sua agonia pode conter a nascente destes rios ser a fonte destas lágrimas.Continuar lendo “A dor e as lágrimas”

A paixão segundo quem viveu

Bem além do chão, bem além… bem além do céu, muito além… me conduzias com tuas palavras, e a mão… tão bem… Entre nós o silêncio era música porque os olhares falavam sem parar… enquanto os lábios, desesperados, ansiavam se abraçar… De mãos dadas, braços dados longe um do outro, apenas o sorriso unindo… eContinuar lendo “A paixão segundo quem viveu”

Pensando alto

Que o prazer de viver esteja sempre acima da dor de viver. Porque sim, viver também é dor. A dor que desperta e ensina que um minuto de prazer valerá sempre bem mais do que eternas horas de dor. *** Momentos existem em que temos vontade de simplesmente fechar os olhos e deixar pra lá,Continuar lendo “Pensando alto”

Natas Solidões

No meio do vazio que ora reinaAmontoado entre vontades e esquecimentosTenho comigo de antes, momentosA vagar a minha mente nada serena…Levanto os olhos e vejo lugaresInvento coisas para não chorarNinguém pode mudar estes matizesFeliz de mim se ainda posso amar…Entre os desejos, sonhos e desesperanças,Levo comigo canções de menina, um torporInfanto amor em meio àContinuar lendo “Natas Solidões”

Teatro das falcatruas

Eu me revolto em pequenos atossobre o palco, mas atrás das cortinas.Recito textos incompreensíveise alcanço a glória de ser eu mesma.Não levanto mais bandeirassequer escapam gritos.Interpreto cenas mudaspara pessoas surdas.Minha rebelião não é mais jovemminhas causas talvez nem sejam nobresÉ que sinto a dor dos abatidosdos torturados e abafadosdos que lhes restam que o olhar.PorContinuar lendo “Teatro das falcatruas”

Só Pra Constar

Depois de mais um dia com enxaqueca, o suficiente para esquecer o quanto sexta-feira é um dia genial, aqui estou eu. Faltando apenas cinco minutos para o dia acabar e Cinderela se transformar em abóbora (ou seria em menina simples e só a carruagem em.. ah, esquece…). A verdade é que vai começar pra mimContinuar lendo “Só Pra Constar”

O Comprimido

Desceu reto garganta à baixo e ficou lá, esperando sua hora. Dou-lhe uma! Dou-lhe duas! Dou-lhe três!… E nada aconteceu. Nem um um gole de água passou por ali. Aliás, nem um pouco de saliva. Estava ali, parado, entalado, a espera de qualquer coisa e nada. Bem feito, o resto que esperasse também. E iaContinuar lendo “O Comprimido”