Berço

Outrora somente fui teu berço e em mim dormias, semente, embalada criatura, pelas águas minhas alimentada nos augúrios pelas esperanças minhas. E hoje alças vôos, asas doridas, corres pela vida, cansaço nos olhos e nem lembras… Que o berço ainda existe e nele continuam a soar, ainda que silentes, todas as canções, todas as preces,Continuar lendo “Berço”