Me parto

jogo palavras fora. fora de mim, fora de meu coração fora de minha alma, fora de meu corpo fora de tudo o que eu possa ser palavras fora… eu jogo e elas saem de mim perfurando o corpo, abrindo os poros, escrevendo dores palavras saem, palavras jorram, fora da minha alma e da agonia sentidaContinuar lendo “Me parto”

Verbo e poesia

Eu poeto (e poemo, poesio, faço um pouco de tudo com a poesia…) Tu poetas ( e poemas, poesias.. fazes de tudo um pouco com a poesia…) Ele, ela poeta (e poema, poesia… faz um tanto e mais com a poesia…) Nós poetamos ( e poemamos, poesiamos… fazemos tanto com a poesia…) Vós poetais (eContinuar lendo “Verbo e poesia”

A criança interior

Algumas pessoas, quando crescem, abandonam a infância sem saber que é preciso mantê-la viva na alma para que o equilíbrio exista. Os sonhos precisam da inocência infantil assim como as esperanças. E quem vive sem sonhos ou esperanças? Mas quando crescemos e renegamos este lado importante de nós, há um amargor que toma o serContinuar lendo “A criança interior”

O peso dos anos

Os anos passam os anos pesam os anos nos arrastam… Só a juventude não os vê passar não sente deles o peso e não se arrasta com eles… Mas um dia a juventude parte. Sem um adeus sequer. Parte do espelho, parte do corpo permanece unicamente na alma. Os anos passam largam seu peso sobreContinuar lendo “O peso dos anos”