Falar dos ventos

Só eu posso falar mal do vento. Ninguém mais. Porque eu amo o vento, amo suas peripécias, sua arte, suas doideiras, seus carinhos. Amo quando vem manso e amo ouvir seus cantos bárbaros. Mesmo se me assusto quando ele se transforma em ventania desenfreada, mesmo se temo sua força. Só eu posso falar mal do vento e dele dizer coisas belas ou nem tão belas assim. Ninguém mais. Porque meu amor por ele é maior do que as raivas que sinto, meu sentimento é de paz ao sentir seu toque e quando ele passa por mim, vai se acalmando junto de meu coração. O vento é meu companheiro, me lembra o mar, me traz sua essência. Me lembra também os campos, sua força que espalha as sementes, perfuma com o ar com aroma de mato. E os cheiros de mar e mato se misturam na saudade, fazem de minha vida um recanto natural de amor. Só eu posso falar mal do vento… ninguém mais… a não ser que o ame tanto quanto eu.

Photo by Yoann Boyer on Unsplash

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: