Por conta de meu silêncio

Ao invés de falar, faço silêncio. Porque minhas palavras talvez soassem duras demais. Porque minhas feições ao falar talvez ficassem duras demais. Mas eu não me engano, o peso do meu silêncio é tão grande quanto o mundo em mim que o acolhe e as palavras caladas me cortam por dentro como se facas afiadas fossem: cortam os órgãos, a carne, a pele. Nada fica imune. Mas o tempo irá passar e minhas palavras caladas ecoarão em outros silêncios. O tempo, mestre supremo, me dará razão e minha voz surgirá dos abismos para enfim dizer o que deverá ser dito. Ouvidos incautos, preparem-se! Ouvidos ingratos, preparem-se! Do fundo do silêncio brotará a verdade, somente ela, para florescer entre nós.

Photo by Joshua Rawson-Harris on Unsplash

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: