Pequenos versos do nada

Parto imediatamente.
...sem um instante para trás, parto.
e num excitante momento, renasço!

***

Conto nos dedos
os momentos felizes.
Uma terceira mão?

***

O poema é médio
as saias longas...
a paciência curta.

***

O poema é mediano
as calças compridas...
a expectativa encurtou.

***

O poema é médio
o vestido longo
a respiração ficou curta.

***

Photo by Laura Chouette on Unsplash

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: