De repente

De repente um cansaço inteiro
toma conta do corpo desprevenido
preenche-lhe um torpor jamais sentido
vai-se o ânimo bom e costumeiro…

Os olhos teimam em ficar cerrados
os braços se recusam a levantar
tudo de repente num estado
como se não fosse mais curar…

As mãos se amarram em punhos fechados
a boca sem palavras para amaciar
o tempo que aparece tão nublado…

Os pés no chão não se movem, estão parados
e o mundo mais parece outro invertido
neste instante onde o sonho foi cortado.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: