A natureza do homem

Vertente.
As águas correm
O verde cresce
dentro do ventre quente
da floresta.
a força imensa
energia intensa
das raízes na terra
dos galhos como mãos
esticadas em direção ao céu…
Onde os animais ainda são livres
onde a vida ainda é vida.
Até a chegada desumana
do homem que derruba, corta, mata, assassina.
O homem que não enxerga a beleza…
quer apenas o lucro, coisa tão passageira.
E toda a força da natureza
se dobra frágil diante da desumanidade.
Até voltar mais forte, mais dura…
e desabrochar em terremotos, maremotos, tempestades…
A morte pela morte
ao invés da vida pela vida.
O homem não sabe conviver em paz.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: