Carnaval sem fantasia

Carne.
Aval da carne.
Carnaval.
Sangue, suor e ouriço.
Feitiço.
À margem
sem margens
marginal.
Tudo vale.
Tudo pode.
Na vala, na rua.
Contra a parede nua.
Para esquecer depois
junto com o feijão e o arroz
e tudo o que for normal.
Carnaval.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: