Sina

Ao nascer, foi condenada.
E para isto, castrada.
Crescendo, foi podada.
Amadureceu, apedrejada.
Afagada pela fúria
Apagada pelo espúrio
Considerada escória.
Abnegada ou louca
O que fizesse era pouco
Ou poderia ser demais.
Cansada, trabalhava.
Adoecida, se dava.
Mortificada, não mostrava.
Foi condenada ao nascer
E castrada para não ceder
Podada para nada ver.
Esfolada viva.
Escorraçada viva.
Encurralada viva.
Violentada
com atos e palavras
Degradada
com atos e palavras
Insultada
com atos e palavras
Apedrejada
Apedrejada
Apedrejada
Sua vida era um insulto ao homem.
Ela era somente mulher.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: