Horácio e o ônibus

Horácio caminhou em direção ao ponto de ônibus certo de que não precisava correr. Seus passos largos certamente o fariam chegar lá antes do ônibus que surgia, quase sempre, do nada. Era uma espécie de corrida que ele apostava. Todos os dias. Algumas vezes ganhava, chegava a tempo mesmo de sentar e abrir o jornal, folhear algumas páginas. Mas tinha vezes em que o danado do ônibus aparecia, vá saber de onde e, quando ele tentava apertar o passo, correr mesmo, lá estava ele já arrancando. De propósito, só podia. Mas hoje ele estava sem pressa. Caminhava com os passos normais. Mesmo que não resistisse e olhasse para trás várias vezes. Hábito. Chegou, sentou, abriu o jornal. Passaram então três ônibus antes que Horácio se decidisse a entrar num. Não importava mesmo. Não tinha para onde  ir mesmo. O emprego que perdera ontem mudara totalmente o seu itinerário.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: