Um pedaço da dor

Detesto enxaqueca.
Já perdi a conta na minha vida do quanto eu já disse e escrevi isto com todas as letras e palavras.
E no entanto, cada vez é sempre uma primeira vez, uma horrível primeira vez.
A dor lateral que que faz com que o olho tente fechar e não mais abrir.
A indisposição total.
A quase crença de que nunca mais existirei sem esta dor infernal.
Nunca mais.
Enxaqueca que pega mansamente.
Tudo feito para espantá-la, tudo. E mesmo assim ela se ajeita e fica. Permanece.
Até que a dor tenha feito de meu ser uma imensidão de cansaço e insuportável desprazer.
Mas depois passa.
Quanto tempo?
Nãos se sabe, é impensável o fim.
Mas depois passa…
deve passar
se espera que passe.
Eu espero que passe.
De olhos fechados para o mundo, que não suporto suas luzes, suas cores, sua alegria, nada.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: