A invasão dos pêssegos

Morávamos em Curitiba, num bairro chamado Bacacheri, isto lá pelos anos 60. Eu deveria ter uns seis anos de idade, meu irmão uns quatro. Lembro-me que minha mãe tinha umas amigas de quem gostava muito e a quem chamávamos “as amigas japonesas”. Eram nossas vizinhas. Meu pai viajava frequentemente, ele era representante de medicamentos.
Num fim de semana de festa, destas festas de bairro e de igreja, de igreja e de barraquinhas, havia rifas e concursos diversos. Vários prêmios. Mas não diversos: todos variavam entre latas de pêssego e tortas de pêssego. Foi assim que minha mãe voltou conosco para casa naquela noite com sete tortas de pêssego e várias latas da mesma fruta. E mesmo tendo presenteado as vizinhas, ainda entramos a semana saboreando as iguarias!
Lembro até hoje que meu irmão e minha mãe levaram anos para comer pêssegos novamente. Não sei porque, mas eu não. A não ser pela lembrança, que sempre foi muito engraçada e não saía de minha cabeça!

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: