Do barco que entrevê a vida

A idade avança, a gente avança o sinal e o medo avança na gente.
Da idade e das mudanças
Do sinal que a vida emana
O medo guerreia com a gente.
A ansiedade cansa, a gente cansa da vida e a vida chamando a gente.
Ansiedade com as matanças
Que a vida faz e a gente reclama
Porque não quer mudar.
Tanto faz se são cem anos
Vinte ou quinze, trinta ou mais
O barco não sai do cais
Sem a gente pra manobrar.
O passado que acorrenta
assusta mais do que desconhecido
e o futuro assim se ausenta
no medo do tanto sofrido.
O medo que avança na gente, quando a gente avança o sinal, entre a idade que avança…
E a gente entra na dança
Que parado não sei vai…
o barco não vai
a lugar
algum.

Imagem by Ellasayshi

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: