O VENTO NA NOITE

Mordo o vento.
Ele me açoita
E depois do dia
vem a noite.
Quanto tempo durará a noite?
Será ela eterna ou passageira
Passará num rompante ou me guardará cativa em sonhos?
Minto para mim mesma
e canto uma canção de ninar:
dorme criança pequena que haverá por perto um bicho para te pegar!
Mas não sinto medo,
apenas curiosidade
vontade
de adentrar a noite
como se fosse arco-íris
penetrar suas entranhas
e descortinar as janelas que eu sei, eu tenho certeza, que existem!
Estou sem sono, a noite passa, eu sigo.
Ouço o vento.
Ele em mim pernoita.
E depois da noite
virá o dia.
Talvez.
Imagem by *pure-insomnia

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: