Imprecisões

E não é sempre que sonho acordada,
olhando as ruas e vivendo o firmamento,
mas quando a vida faz de mim
a ré sentada numa arquibancada.
Por nada ver através dos vidros,
por muito ver além e mais além,
do tempo preciso e nunca mais vivido,
do tempo perdido por outros.
Construo sonhos apesar das chuvas,
neles caminho como alma livre
e vou suprema,
o imortal me vive
enquanto o sonho a lágrima enxuga.


(Poema publicado em meu livro Coracional, 2007)


Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: