Um dia, a liberdade

Um dia, sem querer, sem saber aonde ou como, fiquei livre. A liberdade me chegou assim, estampou-se em minha vida e me deu tantos direitos e deveres que foi como se uma música sem fim começasse a tocar em minha cabeça. Comecei a pensar na infância, quando liberdade era pedida com o bater de pé no chão e choro meio fingido. Ou na adolescência, com olhares fugidios e frases construídas com o coração já na rua, entre os amigos. Mas a liberdade que me pegou tal dia, não sei qual dia foi, foi uma liberdade adulta: veio com toda uma bagagem de responsabilidades e me fez de repente enxergar a mim mesma como um ser único e ao mesmo tempo como parte de um todo sem o qual nada seria. Tenho esta liberdade comigo hoje. Ando vestida com ela, falo com ela, ouço com ela, escrevo com ela. E eis porque meus passos não são saltos. São passos apenas. Passos livres que têm olhos no chão e no céu.

Imagem by Dmzmu

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: