VERSOS SAZONAIS

Flutuando o pólen se insinua.
Crescei e multiplicai-vos,
oh flores da primavera.

Flores despedem-se
sobre o homem, apáticas pousadas.
Elas e ele arrancados, adeus!

O frio corre solto como fios revoltos
revoltando e revolvendo as folhas.
Voante outono!

Pensei que fosse para sempre.
Pensaram também?
Desdém… verão as águas de março…

Brotam verdes folhas limão
Recém nascidas
Filhas da primavera.

A cigarra foi trabalhar.
E o silêncio da mata
assombrou a formiga.

(Editado em livro, Jacqueline Aisenman)

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: