Porta giratória

Presas nos dentes

as palavras
cortadas
… afiadas
continuavam
a soltar veneno
não podiam ser engolidas
e assim nem mesmo
ser vomitadas
as palavras
atadas na língua
forçadas no calado estado
do silêncio obrigado.
Na porta giratória
da boca entre o selvagem e o doce
entre o salgado e o almoço
no meio de toda história…
As palavras
Traídas
Subtraídas
Invertidas
continuavam
entre o mais e o menos..
não poderiam mais
ficar escondidas
e por isto mesmo
encarceradas
As palavras
morrendo à míngua
entaladas no medo perverso
de ser o inverso
da memória.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: