Frases soltas

Certas dores são como velhas roupas: estão há tanto tempo guardadas entre as nossas coisas que nem sabemos mais porque as temos ou guardamos. Outras são como velhos amigos: estão lá, bem no fundo e, embora algumas vezes nem se queira a companhia, sabemos que não partirão, que são para toda a vida.

Não tenho medo da morte, ela que me levará um dia para onde nem sei imaginar. Não tenho medo da vida, nela me banho e me alongo, dela aproveito tudo. Mas tenho medo de acordar um dia e não ter mais meus sonhos, pois sem eles não estarei viva e nem morta, estarei simplesmente ausente.

Peça-me. E eu irei até onde houver um fim. Impeça-me. E conhecerás a mim.
 
Atravessam na garganta
decisões e juízos.
Desejos de Pôncio Pilatos…

Tenho sonhos que me chegam e mais parecem água fresca, me matando a sede e me dando energia; me mostrando caminhos e matando saudades. São destes sonhos que faço meu alimento para levantar e recomeçar a cada dia.

Faço o que posso. Possuo o que faço. Não me desfaço, não me deixo em pedaços. Faço e desfaço e não peço e nem laço. A liberdade no pensar ainda é a maior paixão da minha vida.

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: