Intoxicação

Na primeira mordida antevira caos : dor, incomodação, pavor, agonia, náusea profunda, eliminação abundante dos líquidos todos do corpo. Mas a fome era muita e ele não tinha dom algum de previsão, quem dera então confiar num simples cheiro que lhe batera nas narinas. Então engoliu. E engoliu de novo. E de novo. Depois, tudo foi uma sequência surreal e melancólica: muita dor, incomodação, pavor, agonia, náuseas profundas, os líquidos do corpo sendo eliminados sem moderação. E ele esticado na cama a pensar naquele cheiro, o cheiro primeiro, só sentia voltar o desejo de despejar fora tudo e nada. Enquanto alimentava a esperança de uma melhora breve, pensava: seria um “vidente” de cheiros?

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: