OBSOLETO

OBSOLETO

Pela cabeça desfilavam pecados. Antigos pecados, velhos e démodés. Hoje sentia-se tolo, tão tolos eram os pecados dos quais nem sequer se arrependia. Tinha uma lista interior, revia tudo, como numa gravação ruim e sentia que nada estava por refazer. Os pecados não circulavam mais pelo corpo e nem faziam eco no coração. Eram apenas souvenirs de uma juventude que já o abandonara há muito, muito tempo.

Imagem: Old_Man_by_Felis_Nappus

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: