Passos sozinhos

Passos pausados, passos pesados. A bengala apoiando o chão ele ía, uma perna de cada vez. Não percebia mais o peso das pernas mas sentia o peso da vida quando se via caminhando pela rua sozinho. E nele vinha então um desejo impossível de correr, correr, correr e tentar alcançar o que já tinha ficado para trás num passado costumaz e negado.

(Foto de dreaminfinity )

Publicado por Poeternizar

Eternizando versos, versejando vida, poetando sonhos, poeternizando a emoção de cada dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: